Parrocchia Santa Maria Immacolata delle Grazie
Viale Papa Giovanni XXIII, 13 - 24121 Bergamo
Tel. 035-237630
Vai ai contenuti

Menu principale:

Storia

Luoghi e Storia > Santuario Mariano

STORIA DELLA CHIESA SANTA MARIA IMMACOLATA DELLE GRAZIE
DIOCESI DI BERGAMO


Qui dove ora sorge la chiesa di S. Maria Immacolata delle Grazie si trovava la chiesa del convento francescano fondata da San Bernardino nel 1422 come suggello della pacificazione che il santo aveva operato tra le fazioni politiche rivali.
La risistemazione urbanistica del centro città operata alla metà del XIX secolo per permettere l'apertura del viale che conduce alla stazione comportò la demolizione dell'antica chiesa; tuttavia dell'antico complesso si conservano il chiostro (visitabile da Viale Papa Giovanni XXIII, 13) e molte delle opere d'arte che ora adornano la nuova chiesa: l'affresco miracoloso del Santo Jesus trasfuguratosi nel 1608 e ora venerato sul prezioso altare ligneo di Caterina Caniana (1761), la Madonna e Santi di Giambettino Cignaroli (1752), la Madonna e Santi di Giampaolo Cavagna (1619), la Madonna e San Diego di Enea Salmeggia (1594), il ciclo di affreschi di Jacopino Scipioni raffigurante la Vita di San Francesco (1507) e altri affreschi quattrocenteschi.
L'impianto attuale della chiesa, edificata tra il 1857 e il 1875 a croce greca in stile neoclassico, si deve all'architetto Antonio Preda, che riuscì ad armonizzare i volumi della nuova chiesa con i fabbricati ancora in opera, rendendo così il monumentale complesso delle Grazie cuore della città.  La decorazione pittorica della nuova chiesa, che culmina nella Gloria di Maria (1865-68) dipinta nella cupola, si deve ad Enrico Scuri, direttore della Scuola di pittura dell'Accademia Carrara, e ai suoi allievi.

History of the Church of St. Mary of GRACE
in the Diocese of Bergamo


In the very location of the actual Church of St. Mary Immaculate of Graces was the franciscan convent founded by St. Bernardino of Siena in 1422 as mark of the appeasement achieved by the Saint between opposed political factions.
The revamping of the downtown in the middle of the 19th century to pave way between the station and the city center required the demolition of the ancient church; however the cloister of the old complex (which is still visible in Viale Papa Giovanni XXIII, 13) was preserved and most of the masterpiece which still embellish the new church: the miraculous fresco called "Santo Jesus" that transfigured itself in 1608 still revered in the precious woodden altar carved by Caterina Caniana (1761), a Madonna with Saints by Giambettino Cignaroli (1752), a Madonna with Saints by Giampaolo Cavagna (1619), a Madonna with Saints by Enea Salmeggia (1594), the cycle of frescoes representing Stories of the life of St. Francis painted in 1507 by Jacopino Scipioni and many 15th century frescoes.
The actual structure-plan of the church, built in 1857 - 1875 at greek cross in neoclassical style, was realised by architect Antonio Preda, who managed to blend the new building with the  old one, making the complex of St. Mary of Graces the very heart of the downtown.
The entire frescoes decoration of the church culminates in the Glory of Mary painted in 1865 – 1868 by Enrico Scuri -director of the Painting School of the Accademia Carrara – and his scholars.


                      A Igreja de Santa Maria Immacolata delle Grazie


Em 1422 o nobre Pietro Ondei de Alzano doou a S. Benardino de Siena, que em 1419 se tinha estabelecido  em Bergamo, um terreno fora dos muralhas da cidade para  fundar um mosteiro dedicado a Santa Maria delle Grazie. Segundo a tradição, durante o lançamento da primeira pedra, Maria apareceu ao santo para confirmer a obra.
Na igreja do convento foi estabelecida em 1478 a Confraria da Imaculada, que a partir de 600 celebra a festa regularmente a 8 de Dezembro.
Após o desaparecimento do convento em 1810 e a demolição da velha igreja em 1856, o bispo Pietro Speranza queria erguer em Bergamo um templo votivo para solenizar o Dogma que tinha sido proclamado em 1854 pelo Santo Padre Pio IX, e, portanto, escolheu o lugar que durante séculos já tinha invocado a Virgem Maria com o título de Imaculada, marcado, para alein do mais, por uma posição central na nova estrutura urbanística da cidade, cujo centro foi passando da Cidade Alta para a parte mais baixa da cidade.
A igreja veio a surgir na avenida que conduz da estação para a Cidade Alta, encontrando-se sobre o mesmo eixo visual da Catedral.
Graças às generosas doações provenientes de toda a diocese o arquiteto Antonio Preda pôde projetar uma igreja neoclássica grande no plano central, coberto por uma cúpula, no topo da qual está a estátua da Imaculada d’ Ouro, para proteger a cidade.
A primeira pedra da nova igreja foi lançada em 1857 e a igreja foi consagrada em 1875. No interior, tudo invoca Maria, destaca-se as duas magníficas pinturas, representando Pio IX , que proclamou o dogma da Imaculada, por Giambattista Epis, na abside; e a Glória de Maria no Céu, Henry Brown, sobre a cúpula.
O altar-mor da igreja, decorada com um friso com heroínas bíblicas, foi consagrado em 1907 na presença de Dom  Angelo  Roncalli, que posteriormente consagrou Maria Imaculada aos soldados, aos quais celebrava missa todas as semanas, nesta igreja durante a Primeira Guerra Mundial. Em 1920, o futuro Papa João XXIII também participou da sessão do Congresso Eucarístico Nacional que se realizou na sala de aula litúrgica da igreja, e falou de modo inspirado da estátua da Virgem Imaculada sob o altar-mor, que os participantes da conferência citaram as sves palavras: "apareceu em um mar de luz, verdadeiramente Belíssima, humilde e mais alta do que as criaturas "


per altri informazioni sulla Chiesa delle Grazie...clicca

Torna ai contenuti | Torna al menu